barcelona arder: turista satisfeito

Barcelona arder: turista satisfeito!

É verdade que Barcelona vai perdendo dia a dia (se já não a perdeu por completo) a magia que a fazia tão especial e carismática e uma das causas é a massificação do turismo e de todas as medidas e políticas administrativas que a acompanham, no entanto, encontro alguma graça nestes encontros fortuitos entre manifestantes vestidos de negro e encapuçados, Mossos d’Esquadra às centenas e turistas.

Se o slogan que diz que Barcelona é um Parque de Diversões para Turista Ver ainda ganha mais veracidade quando há manifestações.

Os turistas devem ir para casa mesmo contentes!: carros queimados, perseguições, contentores do lixo fora do sitio, experiência de guerra civil sem danos pessoais.

À parte, falta explicar que o Centro Social Autogestionado Can Vies funcionou sem subsídios nem tutelas e existiu num edificio okupado no bairro de Sants de Barcelona entre 1997 e maio de 2014.

Na última semana, este mesmo bairro, tem sido testemunho de vários confrontos entre a policia de choque de Barcelona (os Mossos D’Esquadra) e manifestantes depois de efectuarem o seu desalojamento e posterior derrubamento sub ordem do Ajuntament de Barcelona (Câmara Municipal).
No passado sábado, pelas das 20h00, reuniram-se cerca de 5.000 pessoas para uma manifestação pacífica convocada para a Praça Universitat, a partir de onde começaram a percorrer pelas ruas do centro da cidade até ao final da famosa Rambla onde os Mossos esperavam e bloqueavam a passagem dos manifestantes que queriam subir até à Praça S. Jaume, praça do Ajuntament.
A partir daqui a o corpo de manifestantes desintegrou-se e dividiu-se pelas ruas do bairro do Raval e pela Rambla onde encendiaram montes e contentores de lixo (e um carro), golpeavam as portas de vidro e caixas automáticas dos bancos BBVA e Caixa Catalunya, grafitavam frases que reflectem sentimentos e convidam aos que passam a relectir e gritavam slogans de desagrado em relação administração e presidente atual barcelonês sem esquecer o tema da descaracterização da cidade provocado pela recentes políticas e medidas favoráveis ao turismo.
Em plena Rambla, coração do turismo da cidade, os turistas apontavam para o céu donde se avistavam colunas de fumo e o helicópetro de patrulha permanente que vigiava os grupos de jovens manifestantes vestidos de negro e encapuçados que também eram seguidos por dezenas de forgunetas cheias de Mossos D’Esquadra. 
A perseguição pelo centro durou mais ou menos 1h30 e acabou cerca das 2h00 da madrugada no cruzamento da rua Rocafort com Gran Via Corts Catalanes quando os jovens se deslocavam para o bairro de Sants e os Mossos conseguiram cercá-los.
Entre 100 e 150 pessoas foram identificadas e algumas directamente detidas. 
 
Texto e fotografias por ceci de f
.
.
Anúncios